Edição de 2022 da prova com novo calendário

in Expresso, 3 de Junho 2022

A primeira volta da competição vai ter uma segunda fase que arrancará em novembro.

O Global Management Challenge 2022 vai ter este ano um calendário diferente. É que a primeira volta em curso vai contar com uma segunda fase de decisões prevista para novembro. A segunda volta está agendada para dezembro e a final nacional referente a esta 43ª edição e que habitualmente se realiza no final do ano, está programada para janeiro de 2023.

João Matoso Henriques, CEO da SDG, empresa que organiza esta prova em parceria com o Expresso, conta que “tendo em conta as circunstâncias extraordinárias devido à turbulência causada, principalmente na Europa, pela guerra na Ucrânia, decidimos fazer a primeira volta em duas fases. Não é a primeira vez que o fazemos e assim damos mais tempo às empresas para se prepararem melhor internamente para a competição e nós temos um período mais alargado para conseguir mais equipas”.

A segunda volta da competição está agendada para dezembro e a final nacional realiza-se em janeiro de 2023.

Para já e nesta primeira fase da primeira volta do Global Management Challenge participam 218 equipas. Um número que a organização espera que cresça, tendo em conta que as inscrições para a segunda fase da primeira volta vão estar abertas até ao próximo dia 24 de outubro. “O número de equipas com que agora arrancámos dá-nos confiança para conseguirmos ultrapassar as 332 que participaram no ano passado”, explica o CEO da SDG. Realça ainda que com este calendário as equipas de estudantes também têm mais tempo para se prepararem para a competição, já que nos meses de maio e junho estão muitas vezes assoberbadas com trabalhos e exames de final de ano letivo.

Uma volta feita de dois momentos

Na prática, a segunda fase funciona como uma extensão da primeira volta, feita em dois momentos diferentes. As equipas apuradas com o melhor desempenho desses dois momentos irão integrar a segunda volta, com arranque previsto para dezembro. Desta etapa sairão as oito equipas que irão disputar a final nacional, com data de realização prevista para os dias 30 e 31 de janeiro do próximo ano.

Atualmente esta competição portuguesa que conta com mais de 40 anos de existência está presente em 35 países. “Alguns países ainda não estão ativos devido aos problemas causados pela covid-19 e infelizmente a situação na Ucrânia veio complicar mais este cenário, dadas as características globais e de grande dispersão geográfica desta competição. Esta guerra veio trazer uma nova dimensão de dificuldades que temos de saber gerir e ultrapassar mantendo os princípios e os valores do Global Management Challenge intactos, continuando a ser uma plataforma de desenvolvimento de competências e de divulgação das práticas da estratégia e da gestão empresarial”, refere João Matoso Henriques. E mais do que crescer internacionalmente, a organização desta iniciativa esteve focada, nos últimos dois anos, a ajudar os países que passaram por mais dificuldades com a pandemia a realizar as suas edições.

Para João Matoso Henriques, tanto em Portugal como no resto do mundo, “a consciência da importância das soft skills e também das competências de gestão para os participantes de formação académica fora da área de gestão, torna a participação no Global Management Challenge uma excelente oportunidade”.

Jornalista/Expresso: Maribela Freitas

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Organização

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

default-thumbnailPA190504