Um teste prático na área da gestão

in Expresso, 12 de setembro de 2020

Legenda da Foto: Tiago Teixeira, Rui Ferreira e José Ramos, em representação da participação do ISPGaya na competição

Os estudantes encaram o Global Management Challenge como uma aproximação ao que vão viver no mundo das empresas e nas práticas quotidianas de gestão.

O Instituto Superior Politécnico de Gaia (ISPGaya) participou com oito equipas de estudantes das licenciaturas de gestão e contabilidade, na primeira edição da primeira volta do Global Management Challenge 2020. O objetivo foi o de colocar os alunos perante um simulador que testa conhecimentos e estimula a capacidade crítica e de inovação.

Rui Ferreira é docente da cadeira de planeamento e controlo de gestão dos cursos de gestão e contabilidade do ISPGaya e desde 2008 que insere a participação na competição nacional, no âmbito da disciplina que leciona. “A participação na prova é utilizada como uma ferramenta fundamental, de forma a potenciar a formação de técnicos superiores que apliquem, com elevação quer científica, técnica e atitude profissional, os conhecimentos e competências desenvolvidas, para que sejam capazes de dar resposta aos desafios quer organizacionais quer éticos e humanos, promovendo a capacidade de inovação e de análise crítica”, explica o docente. Acredita que aqui obtêm “uma maior perceção da utilização prática de alguns dos conhecimentos que foram adquirindo ao longo do curso”.

Na competição os estudantes tomam decisões num ambiente de incerteza e risco.

Na opinião de Rui Ferreira e no processo de tomada de decisão, cada vez mais a chave do sucesso reside na capacidade de antecipação de acontecimentos e quem decide depara-se diariamente com o desafio de responder à mudança. E “é neste cenário, de decisões tomadas em ambiente de incerteza e risco, mas cujos modelos instrumentais procura sustentar, que o Global Management Challenge se desenvolve”, salienta.

Tiago Teixeira liderou a equipa Staples/Ispgaya 01 que tal como as restantes sete formações de alunos do ISPGaya, não se qualificou para a segunda volta. Estudante de gestão explica que “os alunos que usufruem desta participação tornam-se futuros profissionais mais bem preparados para o mercado empresarial, que depende de forma bastante vincada das decisões a tomar”. Conta ainda que a participação não foi apenas de cariz exploratório e de conhecimento, pois para a valorizar ainda mais o desempenho dos alunos este foi avaliado consoante as decisões tomadas ao longo da primeira volta. Tiveram de apresentar um relatório detalhado do que fizeram, contando este para avaliação.

Para quem estuda, este desafio funciona como uma primeira abordagem à vida nas empresas.

“Apesar de nos serem ensinados diversos temas nas aulas, o impacto de se participar numa competição como esta dá-nos uma perspetiva muito mais real e fidedigna do que nos espera no futuro e da importância de cada decisão”, frisa Tiago Teixeira.

Já para José Ramos, chefe da equipa Staples/Ipsgaya 02, também estudante de gestão, “a participação foi quase um estágio daquilo que esperamos que a gestão nos mostre no futuro. Estamos a falar de um curso exigente com diversas áreas que fomos aprendendo em separado, mas que num mundo real convergem todos os dias, daí que tenha sido uma experiência bastante enriquecedora”. Acrescenta que esta participação serviu ainda para acrescentar conhecimento e visualizar as interações entre os vários departamentos de uma organização, de forma a serem asseguradas as várias fases do controlo e planeamento na sua gestão, sendo fundamental para alcançar o sucesso pretendido.

Jornalista/Expresso: Maribela Freitas
Fotógrafo/Expresso: Rui Duarte Silva

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Organização

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

7 SET 2020iscte