SDG
EXPRESSO
SIC
|

Um desafio que permite captar e reter talento

in  Expresso, 17 de Novembro de 2018

Legenda da foto: João Miguel Oliveira e Rúben Tiago Correia, com a diretora de recursos humanos Ana Bernardes e a sua colega de equipa Marta Telhada

A Accenture Portugal acredita que esta prova testa e desenvolve competências em estudantes e quadros

Um primeiro contacto com o talento e um teste às suas capacidades é como a Accenture Portugal encara o Global Management Challenge. Dado o seu carácter formativo a competição é ainda para a consultora uma forma de melhor preparar os seus quadros para os desafios empresariais.
Além do apoio à participação de 21 equipas de estudantes e quadros na atual edição, a consultora é ainda patrocinadora da prova. Ana Bernandes, diretora de recursos humanos da Accenture Portugal explica que esta iniciativa representa para a sua empresa “uma excelente oportunidade de contactar com as novas gerações que podem vir a ser futuros colaboradores e um momento aliciante de identificar, avaliar e preparar os nossos estudantes para o ambiente empresarial”.
É que nesta competição, frisa “podem aplicar os conhecimentos que aprenderam na faculdade e também colocar à prova algumas competências comportamentais que ganham cada vez mais relevância na hora da contratação, tais como a capacidade analítica e de flexibilidade, o trabalho em equipa e a tomada de decisão”.

O poder de decidir

Sendo um “simulacro perfeito do ambiente empresarial” para a diretora de recursos humanos neste desafio os participantes lidam como casos reais das empresas, têm o poder de tomar decisões extremamente rigorosas como se estivessem na vida real e ficam com uma ideia muito concreta do que é gerir uma organização, o que é uma mais valia desta competição.
O apoio a equipas de quadros por parte da Accenture Portugal surge como “forma de estimular a criatividade e colaboração dos nossos quadros entre diferentes áreas de negócio”, conta Ana Bernardes. Acrescenta que permite “relembrarem conceitos e de verem como impacta uma decisão de gestão em toda a estrutura e uma cadeia de valor, sendo assim mais uma ação de formação adicional para os colaboradores e uma forma de terem uma visão geral da organização, promovendo maior colaboração entre todas as áreas da empresa”.
Para Ana Bernardes o sector em que labora enfrenta uma escassez de recursos humanos nas áreas tecnológicas digitais.
Neste âmbito o Global Management Challenge ajuda já que prepara os participantes para o que vão viver nas empresas, com casos práticos reais e ajustados à realidade do mercado. “Os jovens ficam de imediato preparados para os desafios externos e internos e as empresas só têm a ganhar com profissionais mais preparados“.

Desenvolvimento Interno

Internamente “esta aprendizagem é para os nossos colaboradores mais uma oportunidade de se tornarem ainda mais relevantes no seu desenvolvimento profissional”.
João Miguel Oliveira lidera a equipa de quadros Accenture/ Fabcompany, de que fazem também parte Marta Telhada e Rúben Tiago Correia. Com idades entre os 26 e 29 anos, são formados em engenharia biomédica e eletrotécnica e de computadores. Esta formação não se qualificou para a segunda volta, mas para os seus membros o tempo despendido não foi perdido nem mal aproveitado.
É que, na opinião desta equipa de jovens quadros, foi uma boa experiência pois estiveram envolvidos num desafio competitivo, tiveram a possibilidade de gerir uma empresa e de trabalhar em equipa. “A oportunidade que nos foi dada de participar na competição revela por parte da empresa uma grande flexibilidade em projetos e iniciativas externas que possam conduzir a uma maior motivação e satisfação dos seus colaboradores”, revela João Miguel Oliveira.
A sua colega Marta Telhada explica que na competição aprenderam que “gerir é mais fácil teoricamente. Quando se começa a fazer esta gestão na prática, ponderando todos os riscos e benefícios de cada decisão, verifica-se que podem ser tomadas medidas erradas que colocam em causa todo o negócio”.
Aprenderam também a debater, defender e fundamentar opiniões com argumentos que justifiquem a decisão final.
Da competição para a vida real é um passo e Rúben Tiago Correia salienta que “estas aprendizagens tornam-se essenciais nas tomadas de decisão do dia a dia”. Também aqui têm de ponderar e tomar decisões, nem sempre fáceis e este é um treino que aproveitam ao máximo no seu trabalho diário e que recomendam a outros quadros.

Classificação final 1ª volta – 2ª Edição

Passagem para a 2ª volta

Esta semana as 151 equipas em prova tomaram a quinta e última decisão da segunda edição da primeira volta. No quadro anexo são publicados os nomes das 31 formações que se qualificaram agora para a segunda volta e que se juntam às 32 já selecionadas em junho, na primeira edição da primeira volta. Ao todo são 63 as equipas que irão disputar a segunda volta da competição que começa no final deste mês.

Jornalista Expresso: Maribela Freitas
Fotógrafo Expresso: Ana Baião

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Parceiros

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

banner_2018_mundoElectric Dream