Prova alarga horizontes na área da gestão

in Expresso, 20 de novembro de 2020

Legenda da Foto: Paula Carneiro, diretora de recursos humanos da EDP, valoriza o carácter formativo desta competição

Durante cinco semanas as equipas são desafiadas a liderar uma empresa num ambiente competitivo.

No  Global Management Challenge as equipas têm uma empresa para gerir e durante este processo tomam decisões sobre diversas áreas e trabalham em equipa. Dado o seu carácter formativo e de desenvolvimento de competências, a EDP encara esta prova como uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional para os estudantes que nela participam.

Na primeira edição da primeira volta da prova de 2020 a EDP apoiou seis equipas de quadros e oito de estudantes e agora na segunda edição da primeira volta está a apoiar oito de estudantes. Cinco destas equipas são formadas por elementos do programa EDP Ambassador, onde estudantes transmitem os valores, missão e atividades da empresa nas suas faculdades. Conta Paula Carneiro, diretora de recursos humanos do grupo EDP, “que apesar do contexto pandémico, demos continuidade às iniciativas já existentes, como o EDP Summer Internship ou o EDP Trainee Program, e desenvolvemos novos programas e experiências para os jovens”.

Esta simulação mostra aos participantes como as suas decisões têm impacto numa organização.

O EDP Ambassador é disso exemplo e nasceu “da necessidade da criação de uma relação win-win entre nós e os estudantes. Durante o ano letivo de 20/21 temos 18 jovens universitários das mais diversas universidades e formações a colaborarem connosco. De entre as oportunidades que o programa lhes pode proporcionar, decidimos oferecer-lhes a participação no Global Management Challenge, pois é desta forma que queremos recompensar estes jovens pela parceria, através de oportunidades reais de desenvolvimento”. Para a diretora de recursos humanos, neste desafio os estudantes desenvolvem competências como o trabalho em equipa, a tomada de decisão e têm a possibilidade de criar uma rede de contactos que poderá ser útil no seu futuro.

Mais-valia curricular

David Oliveira lidera a equipa EDP/The Tree, que inclui Andreia Gouveia e Beatriz Gomes. Estudam engenharia de informática e computação, gestão e informática e gestão de empresas e são EDP Ambassadors. “Como somos de diferentes faculdades, a participação obrigou-nos a partilhar conhecimentos e a uma aprendizagem acelerada das várias áreas que compõem a gestão estratégica de uma empresa. Através de pesquisa, raciocínio e trabalho de equipa, analisamos os resultados operacionais e financeiros para tomar decisões práticas nos vários departamentos e delas avaliar o impacto real na performance da empresa”, revela David Oliveira. Acredita que os conhecimentos de gestão são transversais a muitas indústrias e uma mais-valia para qualquer recém-licenciado. “Aprender a gerir recursos limitados e tomar decisões estratégicas com impacto mensurável, sob prazos fixos, são competências que qualquer empregador valorizará”, salienta.

Na competição os jovens demonstram ao mercado de trabalho o seu talento para gerir.

A possibilidade dada pela EDP a Catarina Marques, João Motrena e João Santos de integrar esta iniciativa é encarada por estes estudantes de engenharia da energia e do ambiente, finanças e engenharia e gestão industrial como “uma oportunidade para desenvolver competências de estratégia e gestão”. Formam a equipa EDP/Ingenious e, até agora, revela o líder João Motrena, “percebemos que o mundo empresarial é complexo. Cada escolha terá um impacto na empresa, o que nem sempre tem um efeito imediato no mercado”. Sendo de cursos diferentes, estes jovens valorizam esta participação que lhes abre horizontes e onde aprendem sobre áreas distintas do seu percurso académico. “Será uma experiência benéfica para o nosso futuro, já que nos permite entender a importância que a interligação dos vários departamentos têm no bom funcionamento de uma empresa”, finaliza.

A equipa EDP/Wait For It é formada por Beatriz Oliveira, Diana Lopes e Pedro Borges, que estudam gestão, bioquímica e engenharia e gestão industrial. “A competição foi-nos proposta como complemento ao EDP Ambassador e decidimos que seria uma excelente oportunidade de testar e desenvolver competências que no futuro poderão ser um fator de diferenciação. Até ao momento ganhámos a capacidade de analisar e trabalhar grandes quantidades de inputs e, partindo desta informação, construir um plano estratégico com foco no crescimento e desenvolvimento da empresa”, explica Diana Lopes, líder da equipa. Acrescenta que “percebemos a complexidade envolvida na gestão de topo e a variedade de competências necessárias para estar na liderança de uma empresa. Esta experiência dá-nos a oportunidade de trabalhar com pessoas de áreas e backgrounds diferentes, o que contribuiu para ampliar conhecimentos e desenvolver capacidades interpessoais”.

MANTER A LIDERANÇA

As equipas em competição na segunda edição da primeira volta do Global Management Challenge 2020 tomaram esta semana a sua terceira decisão, o que provocou algumas alterações na liderança dos grupos. Os grupos 5, 11, 14, 15, 20 e 24 têm agora novas chefias e os restantes continuam com a mesma liderança. As equipas lutam para manter a posição cimeira, numa altura em que esta etapa da competição se aproxima do fim. Mesmo assim, é expectável que se registem mudanças no topo dos grupos na próxima semana. A EDP e a Staples são atualmente as empresas com mais equipas na liderança, com três cada. A Fidelidade, Accenture Portugal, Garantia Mútua, Fujitsu Portugal e IEFP estão representadas com duas equipas no topo de grupos.

Consulte a Classificação da Terceira Decisão da Segunda Edição da Primeira Volta do Global Management Challenge 2020: (clique aqui)

Jornalista/Expresso: Maribela Freitas
Foto: D.R.

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Organização

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

iefp valadas