Preparação para o mercado de trabalho

in Expresso, 1 de agosto de 2020

Legenda da Foto: Stéphanie Dermagne, da IT Sector, acredita que esta iniciativa desenvolve competências nos estudantes

A IT Sector apoia a participação de 10 equipas de estudantes na competição e cinco estão já na segunda volta.

No Global Management Challenge, e segundo a IT Sector, os estudantes treinam competências e aprendem a lidar com desafios. Tudo isto numa prova que prepara os jovens para o mercado de trabalho e permite avaliar talento.

A IT Sector apoiou 10 equipas de universitários que integraram a primeira edição da primeira volta da prova e cinco qualificaram-se para a segunda volta. Um resultado que Stéphanie Dermagne, gestora da equipa de captação de talento da IT Sector, apelida de “excelente, na medida em que o Global Management Challenge dá ênfase a competências que o mercado de trabalho exige e procura. A participação da IT Sector nesta prova tem potenciado o conhecimento de jovens com perfis muito interessantes, sendo que as competências nas áreas da estratégia e gestão os destacam e os tornam diferenciadores dos seus pares”. Acrescenta que neste desafio é ainda enfatizado o trabalho em equipa, a resiliência, a gestão do stresse e a ansiedade.

A prova desenvolve competências valorizadas pelos empregadores na hora de contratar.

“Os jovens, hoje em dia, independentemente da função, tornam-se mais empregáveis quanto maior for o leque de soft skills. Adicionalmente, a área estratégica e de gestão pertence ao core de competências que tornam qualquer candidato mais atraente para uma organização”, explica Stéphanie Dermagne. E competições como esta, mais do que testarem o perfil teórico-académico, mostram como os jovens lidam com a realidade e permite-lhes contactar com o quotidiano das empresas.

Miguel Valverde lidera a equipa IT Sector/$Tonk$, que passou à segunda volta e inclui mais quatro alunos de Engenharia do Instituto Superior Técnico. “Um aspeto que a competição nos proporcionou foi todo o ambiente e a organização que foram necessários, já que um dos elementos mais importantes reside numa boa organização e planeamento, e todos tínhamos tarefas atribuídas, prazos e metas a alcançar.” Mesmo assim, revela que existiu espírito de entreajuda ao procurarem complementar e convergir ideias para que a decisão fizesse sentido. “Estas competências sociais e humanas são cada vez mais importantes no mundo empresarial de hoje”, salienta.

Cai Yiwei, chefe da equipa IT Sector/Lederulite, da qual fazem parte mais quatro estudantes de Engenharia da Universidade do Porto, revela que “a prova não só nos levou a adquirir novos conhecimentos e competências de gestão e economia, como também a desenvolver o espírito de equipa e organização, cada vez mais apreciados pelos empregadores. Fomos forçados a encontrar formas de colaboração à distância, devido à pandemia, e esta exposição a diferentes experiências tornar-nos-á profissionais mais flexíveis e capazes de encarar os problemas com maior autonomia”.

Com presença garantida na segunda volta, a ambição é “ganhar a competição, mas chegar à final nacional já seria uma grande conquista. É importante aprender com os erros cometidos na prova e esperamos que a nossa experiência nos permita chegar mais longe enquanto equipa”, finaliza Cai Yiwei.

Jornalista/Expresso: Maribela Freitas
Fotógrafo/Expresso: Rui Duarte Silva

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Organização

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

estudfidelidade