SDG
EXPRESSO
SIC
|

Hong Kong compete com quadros pelo título internacional

in Expresso, 23 de Fevereiro 2019

Legenda da Foto: Quatro jovens quadros da área da indústria financeira e de investimento vão lutar para levar o título para Hong Kong

O território organiza o Global Management Challenge desde 1996, mas até ao momento nunca venceu uma final mundial.

À medida que se aproxima a data da final internacional da edição de 2018 do Global Management Challenge, que se realiza em julho, aumenta o número de países e territórios que já escolheram o seu representante para este evento. Hong Kong e Macau são disso exemplo e vão competir pelo título com uma equipa de quadros e mista, respetivamente.

A edição de 2018 em Hong Kong contou com 72 equipas, sendo que segundo Jodie Lam, da Macao ManagementAssociation, entidade que organiza a prova em Hong Kong e Macau, neste território aumentou a participação de quadros. “O vencedor de Hong Kong é uma equipa formada por quatro jovens executivas que trabalham na indústria financeira e de investimento. Devido ao seu trabalho diário e à sua experiência profissional, esperamos que venham a obter um bom desempenho na final internacional”, refere Jodie Lam.

O certo é que até hoje Hong Kong ainda não conseguiu arrecadar o título de campeão internacional do Global Management Challenge. Por isso, e por parte da organização, aumenta a expectativa quanto ao seu desempenho em cada ano que passa.

Em contrapartida, o vizinho território de Macau que também começou a organizar a prova na mesma altura, já venceu por duas vezes uma final internacional. Desta vez vai competir com uma equipa mista, ou seja, formada por estudantes e quadros. “Junta estudantes de gestão e finanças, da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau a um jovem executivo do Banco da China”, revela Jodie Lam. Nesta parte da Ásia a edição de 2018 contou com a participação de 108 equipas.

Para 2019, a expectativa da Macao Management Association é que o número de equipas venha a aumentar cerca de 5%, tanto em Hong Kong como Macau. A organização e na concretização deste objetivo, renovou o seu website e tem alargado os canais de divulgação da competição. Na perspetiva de Jodie Lam esta prova funciona para os participantes como “ferramenta de treino do seu raciocínio, tomada de decisões de gestão e flexibilidade, num contexto internacional.

Através da competição conseguem perceber as práticas da gestão moderna”. Defende que esta é a maior competição internacional de estratégia e gestão e promove padrões e técnicas de gestão e contribui para a sua transmissão nos mais de 30 países onde esta iniciativa se desenrola.
“Funciona como uma plataforma de intercâmbio internacional de conhecimentos e competências de gestão”, finaliza Jodie Lam.

Jornalista/Expresso: Maribela Freitas
Foto: DR

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Parceiros

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

chinocasBrasil_2018