Formação de gestão para estudantes e quadros

in Expresso, 15 de agosto de 2020

Legenda da Foto: Frederico Contreiras, responsável da Academia Wevolution da Fidelidade

A Fidelidade conta com quatro equipas na segunda volta do Global Management Challenge 2020.

Uma experiência de aprendizagem na área da gestão é como a Fidelidade encara o Global Management Challenge. Na primeira edição da primeira volta de 2020 a seguradora apoiou sete equipas de quadros e oito de estudantes. Destas, três de quadros e uma de estudantes qualificaram-se já para a segunda volta.

“Fazemos um balanço muito positivo das equipas Fidelidade nesta edição, não só pelos resultados de passagem à segunda fase, mas principalmente pelo bom trabalho, entrega e dedicação que mostraram nesta etapa”, revela Frederico Contreiras, responsável da Academia Wevolu­tion da Fidelidade. Acrescenta que num ano tão desafiante como o atual “foi um orgulho ver como as equipas se organizaram de forma remota, tendo de se adaptar a novas formas de trabalho e comunicação, e ainda assim alcançarem resultados tão positivos”.

Nesta edição, a Fidelidade repartiu o seu apoio entre equipas de quadros e de universitários. “É para nós muito importante promover oportunidades de participação da comunidade de estudantes junto do mundo empresa­rial, expondo-os a dinâmicas de decisão de negócio que lhes permitam desenvolver competências de gestão”, explica Frederico Contreiras. O apoio a quadros visa “reforçar uma mentalidade de aprendizagem contínua nas nossas pessoas e expô-las a iniciativas onde consigam aprender e crescer. A participação na prova é uma dessas vias, onde procuramos desenvolver competências de gestão e de trabalho em equipa fomentando a troca de experiências entre pessoas de diferentes áreas da companhia”, salienta.

A equipa Fidelidade/FidReady é formada por cinco quadros da seguradora. Segundo Sofia Lopes, a sua líder, foi a possibilidade de ter uma visão global do funcio­namento de uma empresa e do impacto das decisões o que motivou a participação. Para já, uma das lições aprendidas é a importância de todas as áreas estarem interligadas e comunicarem. Acredita que esta aprendizagem será “útil no contexto profissional e o trabalho de equipa é essencial para atingir bons resultados”.

Também com presença na segunda volta, a Fidelidade/FidSix é formada por cinco quadros. “Em cada decisão ouvimos sempre a opinião de todos os membros e valorizámos o seu ponto de vista”, explica Daniela Ferreira, chefe da equipa. O objetivo agora é “chegar o mais longe possível. O nosso grande trunfo é a capacidade de organização e de superação, e sendo uma equipa tão rica em perfis e áreas distintas conseguimos ouvir todos os pontos de vista e tirar o melhor desta diversidade”, acrescenta.

A equipa Fidelidade/Cashix é formada por cinco estudantes de Engenharia Biomédica e Biofísica e de Engenharia Física. Tiago Lomba, o líder, conta que no início tiveram dificuldade em entender todos os conceitos e variáveis presentes na prova, já que não lhes eram familiares. Deste desafio retiraram já a perceção de “como funciona uma empresa, e desenvolvemos a capacidade de lidar com o desconhecido e de resolver e encontrar soluções para os vários problemas que se nos podem deparar tanto no mercado de trabalho como na vida”.

Jornalista/Expresso: Maribela Freitas
Foto: D.R.

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Organização

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

it finalfuji