Estudantes representam Austrália na final internacional

in Expresso, 30 de Novembro de 2019

Legenda da foto: Nick Wailes (AGSM) com Milan Bawa e Celia Tan, da equipa vencedora, e Len Norman e Julian Day, que organizam a prova na Austrália.

Será a primeira participação do país na disputa pelo título de campeão mundial desta prova.

A Austrália realizou este ano a sua primeira edição do Global Management Challenge, que terminou este mês com a escolha do campeão nacional que vai representar o país na final internacional da edição de 2019, que se realiza em Lisboa em maio do próximo ano. A equipa é formada por estudantes pós-graduados da University of New South Wales (UNSW), de Sydney.

Milan Bawa, Celia Tan e Srinath Bayankaram, com idades entre os 28 e os 31 anos, são estudantes pós-graduados da AGSM, a escola da UNSW que ministra programas de gestão, executivos, de liderança e MBA. “Vencer a final nacional australiana foi incrível e estamos ansiosos e sentimo-nos privilegiados por ir representar o país a nível global”, explica Milan Bawa. A equipa está ciente de que a etapa internacional vai ser difícil e competitiva. Mesmo assim, ambiciona atingir uma das três primeiras posições. “Cada um dos países que irá disputar esta etapa tem a sua competição nacional e, como é natural, grande parte dos participantes irão trazer consigo para a prova mundial a sua forma local de fazer negócios.

O que significa que poderemos aprender muito uns com os outros e como os diferentes mercados se comportam”, refere Celia Tan. Acrescenta que este evento permitirá também criar uma rede de contactos internacionais, bem como trocar experiências com outros participantes e verificar como as várias equipas lidam com o stress e a falta de tempo na altura de tomarem decisões.

Da experiência competitiva vivida até aqui, Srinath Bayankaram destaca a perceção de como a gestão é intrincada e os diferentes departamentos de uma empresa se interligam para alcançar o sucesso. “Aprendemos como as várias unidades de negócio comunicam umas com as outras e com o mercado, em linha com a estratégia corporativa definida. Se um departamento tentar trabalhar sozinho, irá falhar”, frisa.

A união faz a força

Para Milan Bawa, “trabalhar com uma equipa dinâmica é já por si só uma grande aprendizagem. Mas aprendemos ainda como expressar os nossos pontos de vista de forma efetiva num ambiente competitivo, como negociar a melhor estratégia e utilizar os nossos pontos fortes para atingir um objetivo comum”. Celia Tan acredita que as competências adquiridas irão contribuir para o seu sucesso profissional, num mundo onde a liderança e a capacidade de decidir são requisitos importantes.

Julian Day organiza o Global Management Challenge na Austrália e vai lançar a competição na Nova Zelândia em 2020. Na sua opinião, este desafio funciona como uma formação na área da gestão, que permite a quem o integra olhar para as empresas como um todo. “Podem testar estratégias, trabalhar em equipa e treinar competências de comunicação.

Desafia-os a criarem uma estratégia de gestão e a perceberem as interligações entre os diferentes departamentos da empresa e fatores externos como a economia e a concorrência e como em conjunto influem no desempenho final de uma organização”, salienta. Após esta primeira edição realizada na Austrália, Julian Day quer crescer e ambiciona que tanto a segunda edição australiana como a primeira neozelandesa venham a atrair cerca de 50 equipas cada. “Vamos utilizar o sucesso alcançado neste arranque para divulgar o Global Management Challenge em empresas, firmas de consultoria e universidades”, afirma. A próxima etapa deste processo é, para já, a final internacional, em Lisboa, na qual espera que a sua formação venha a alcançar um bom desempenho.

No momento em que a Austrália encontrou já o seu campeão para disputar a final internacional no próximo ano, outros países, como, por exemplo, Portugal, estão ainda a meio do processo de encontrar o seu vencedor da edição de 2019.

Classificação após a 4ª decisão – 2ª edição da 1ª volta (Consulte o PDF)
VEJA AS CLASSIFICAÇÕES TOTAIS EM WWW.EXPRESSO.SAPO.PT/WORLDGMC

A UMA DECISÃO DO FIM

Na próxima semana as 115 equipas que estão a disputar a segunda edição da primeira volta do Global Management Challenge 2019 irão tomar a última de cinco decisões. Nessa altura apenas as equipas que estiverem no topo dos seus grupos é que irão continuar em prova, transitando para a segunda volta desta 40.ª edição da competição, que arranca em dezembro. Esta semana, e com a tomada da quarta decisão, registaram-se alterações apenas na liderança dos grupos 1, 8, 9, 11, 12 e 13, o que prova que as equipas estão a trabalhar para se manterem no topo. Atualmente a Accenture Portugal, a Fidelidade e a Staples Portugal são as entidades com mais equipas na liderança de grupo, somando três cada uma. A Garantia Mútua, a IT Sector e a Alta Digital estão, cada uma, representadas na chefia de dois grupos. Intrum, Instituto do Emprego e Formação Profissional, Fujitsu, Konica Minolta e Gopack lideram um grupo.

Jornalista/Expresso: Maribela Freitas
Foto: DR

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Organização

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

Paulo_UminhoCarla