Da teoria académica à prática empresarial

in Expresso, 5 de setembro de 2020

Legenda da Foto: A equipa vencedora de 2020 representará Portugal na final internacional, a realizar no próximo ano em Macau

A 2.ª edição da primeira volta do Global Management Challenge 2020 conta já com equipas de estudantes inscritas.

A primeira edição da primeira volta do Global Management Challenge 2020 decorreu entre junho e julho e contou com a participação de 200 equipas. Em novembro arranca a segunda edição desta primeira etapa e o objetivo da organização é conseguir mais 150 equipas, englobando estudantes e quadros. As inscrições vão estar abertas até 26 de outubro, e duas equipas de universitá­rios explicam o que as faz apostar nesta prova, onde esperam desenvolver competências e aplicar a teoria académica na gestão de uma organização.

Bernardo Bastos, Eduardo dos Santos e Elisabete Vaz, estudantes do mestrado de Gestão e Estratégia Empresarial da Universidade Europeia, vão participar em equipa na segunda edição da primeira volta. Acreditam que esta iniciativa é um estímulo complementar à aprendizagem desenvolvida, onde podem aprofundar temáticas como gestão estratégica, marketing industrial ou finanças corporativas.

Elisabete Vaz, líder da equipa, conta que o objetivo é ­aliar a teoria à prática, explorar conhecimentos e colocar em desenvolvimento matérias trabalhadas. “Queremos perceber as suas mais-valias para a avalia­ção e desenvolvimento de negócios e práticas empresariais que nos foram transmitidas e confrontar os conhecimentos adquiridos com as inovações registadas que contribuíram para o desempenho empresarial ao longo dos anos”, acrescenta. Outro objetivo passa ainda por “perceber o impacto da evolução dos mercados e os contributos de gestão que os nossos conhecimentos podem trazer para o negócio, tendo consciência de que isso será uma mais-valia para o nosso futuro enquanto gestores”.

A prova simula a realidade e permite às equipas perceberem como se gere uma empresa.

Em termos profissionais, estes três jovens acreditam que testar em ambiente de simulação as consequências das tomadas de decisão aumentará o seu grau de confiança perante desafios futuros e a destreza na concretização operacional de negócios.

André Nunes, Cláudia Carvalho, Jennifer Gomes e Tiago Pinheiro, estudantes de Gestão de Empresas do Instituto Politécnico de Santarém, já garantiram também a sua presença em equipa na segunda edição, que arranca em novembro. “Esperamos na prova melhorar a nossa capacidade enquanto gestores de uma organização através de todas as decisões que serão tomadas, de forma a determinar qual a melhor política de compras, produção, distribuição de lucros, recursos humanos, entre outros aspetos”, releva André Nunes, o líder do grupo.

No futuro, estes quatro estudantes esperam aplicar essa aprendizagem sempre com o intuito da criação de valor. “Apesar de ser um simulador, tem grande similaridade com a realidade e permite ver a organização como um todo. Como estudantes, podemos mostrar as nossas capacidades e colocar em prática as matérias lecionadas, apresentando ao mercado de trabalho as nossas capacidades técnicas, a dedicação e o trabalho em equipa, podendo levar-nos a novas oportunidades no mundo do trabalho”, finaliza André Nunes.

Jornalista/Expresso: Maribela Freitas
Foto: D.R.

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Organização

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

fujiispg