Chegar à final nacional e vencer a edição de 2019

in Expresso, 7 de Dezembro de 2019

Legenda da foto: As equipas apuradas na primeira volta têm de vencer agora e chegar à final nacional onde só uma vencerá.

Equipas apuradas para a segunda volta têm como objetivo representar Portugal na final internacional, que se realiza em Lisboa, em 2020.

O trabalho de equipa desenvolvido, o aumento dos conhecimentos sobre a área da gestão de uma empresa e a noção de que depois desta experiência estão mais bem preparadas para a entrada no mercado de trabalho são aspetos apontados por equipas sobre a sua participação no Global Management Challenge. A segunda volta está à porta, e a ambição de quem continua em prova é chegar à final nacional e vencer a edição de 2019.

Gonçalo Meireles lidera a equipa de estudantes Accenture/MFL Inc que se prepara para o arranque da segunda volta já este mês. “Achamos que esta competição é enriquecedora e permite testar os nossos conhecimentos e instintos sobre como gerir uma empresa. Temos como ambição chegar ao fim em primeiro lugar”, frisa.

As cinco semanas de prova deram a estes estudantes do mestrado de Engenharia Eletrotécnica e Computadores “ferramentas para melhorarmos a forma de analisar dados e entendimento de mercados, envolvendo várias empresas em competição. Também trabalhámos muito no desenvolvimento do trabalho em equipa e comunicação”, salienta Gonçalo Meireles.

Da teoria à prática

Líder da equipa de estudantes Staples/Gptcb Team, Pedro Santos defende que este desafio permite “colocar em prática todos os conteúdos aprendidos e apreendidos durante a licenciatura em gestão, tanto em atividades curriculares como extracurriculares. Permite também uma maior proximidade com o mundo empresarial e a exigência que este nos trás”. Quando em conjunto com os seus colegas de equipa começou a competir, não sabia bem o que esta prova lhes reservava e o objetivo era chegar o mais longe possível. Agora com presença garantida na segunda volta “para nós não existem limites e passo a passo ambicionamos vencer a competição”, afirma Pedro Santos.

E para competir melhor, a equipa liderada por Pedro Lopes, a Konica Minolta/ Newgencf, passou pela fase de treino que decorreu antes do arranque da segunda edição da primeira volta. “Queríamos perceber como iria funcionar este simulador e também ter uma visão mais pormenorizada dos comportamentos e potencial dos mercados”, explica. Na sua perspetiva há alguns pontos do desempenho da sua equipa que podem ser melhorados. “Podemos dizer que percebemos que a comunicação entre os elementos do grupo é um dos pontos mais importantes para alcançar o sucesso. Todos apresentámos as nossas opiniões tentando chegar a uma decisão bem formulada, tendo em vista os diferentes pontos de vista. Aprendemos ainda que a partir das nossas decisões podemos pressionar a concorrência a fazer decisões mais arriscadas, apenas por estar um passo à frente destas.”

Preparação para o futuro

Também Guilherme Pereira, chefe da equipa Fidelidade/ Frajogui considera que a sua equipa pode vir a melhorar o desempenho alcançado até aqui. Conta que embarcou nesta aventura com colegas da licenciatura de Gestão para enriquecer a sua experiência extracurricular. “Sendo um desafio extremamente útil e prático, temos a certeza que vai melhorar as nossas capacidades como futuros trabalhadores e empreendedores”, salienta.

Uma opinião corroborada por Sancho Coelho, líder da equipa de estudantes de gestão industrial e logística Fujitsu/Teamrocket. “Com a participação no Global Management Challenge sentimo-nos mais seguros para entrar no mercado de trabalho, pois temos já um primeiro contacto com a gestão de uma empresa, através de um simulador muito realista”, frisa.

Para atingirem a segunda volta Sancho Coelho conta que foram sempre adaptando o seu plano de atuação às diferentes contingências que foram surgindo. “Aprendemos a trabalhar sob pressão, tal como a respeitar diferenças de opinião e neste sentido vemos esta competição não apenas como uma oportunidade de aplicar conhecimentos, mas também de trabalhar em equipa”, finaliza Sancho Coelho.

Jornalista/Expresso: Maribela Freitas
Foto: DR

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Organização

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

CarlaRússia_prémio