SDG
EXPRESSO
SIC
|

Viagem em equipa ao mundo real das empresas

in Expresso, 16 de Novembro de 2019

Legenda da foto: Elementos das equipas  da Fidelidade que integram  a prova com Frederico Contreiras, responsável pela área de formação da seguradora.

Nove quadros da Fidelidade integram a primeira volta do Global Management Challenge 2019.

A Fidelidade está a participar com duas equipas de quadros na segunda edição da primeira volta do Global Management Challenge 2019. O objetivo é que os seus colaboradores alarguem horizontes, troquem experiências e trabalhem em grupo. “Para a formação das equipas convidámos colaboradores de diversas áreas, de modo a criarmos equipas multidisciplinares que reúnam diferentes competências entre os seus participantes”, explica Frederico Contreiras, responsável pela área de formação da Fidelidade. Acrescenta que nesta “viagem de aprendizagem” espera que os colaboradores da seguradora “reforcem a sua capacidade de trabalhar em equipa, num ambiente de competição e de exigência e com isso consigam reforçar e trocar experiências entre si. O formato da prova é um ótimo estímulo para a aprendizagem e é algo que queremos aproveitar”.

E durante as semanas em que dura este desafio os quadros têm a oportunidade de gerir projetos, de tomar decisões sob pressão e de serem criativos. “São algumas capacidades que deverão aplicar no seu dia a dia que cada vez mais é menos certo, previsível e repetitivo”, frisa Frederico Contreiras. Defende ainda que estes desafios são fundamentais para o processo de desenvolvimento e crescimento. “Apostamos frequentemente em experiências que contribuam para dar a oportunidade aos participantes de adquirirem novas competências e terem acesso a experiências diferentes das que têm diariamente. A dinâmica de grupo que o desafio provoca é para nós um motor de crescimento e reforço de laços entre as nossas pessoas”, diz.

Curso de gestão

Pedro Melo, líder da equipa Fidelidade Red Tails conta que quando lhe foi feito o convite para participar no Global Management Challenge, este foi-lhe apresentado como um curso e não uma competição. Achou o projeto interessante e embarcou nesta aventura com os colegas Hugo Mendes, Carlos Pereira, Nuno Reis e Diogo Costa, todos estreantes na prova. “O simulador tem muita informação e é preciso ter cuidado e ler muito bem as regras, os conceitos e como se desenvolvem alguns temas”, refere.

Até agora o balanço é positivo e as decisões têm sido tomadas depois de cada elemento da equipa dar a sua opinião que é posteriormente discutida até chegarem a consenso. “Trabalhamos muito em conjunto e até ao momento o espírito de equipa tem estado sempre presente, bem como a partilha de conhecimento e de opiniões. Daqui retirámos também o treino da tomada de decisões, de liderança e de estratégia”, salienta Pedro Melo.

Uma opinião corroborada por Pedro Ramos que chefia a equipa Fidelidade Pedro e Inês, da qual fazem também parte Pedro Rosa, Pedro Rodrigues e Inês Oliveira. “Somos pessoas com perfis, visões e hábitos diferentes, o que faz com que haja um reforço de competências interpessoais, já que temos de trabalhar e ouvir a opinião dos outros e chegar a consensos. Não é todos os dias que se recebe o convite para um desafio como este e é entusiasmante lembrarem-se de nós e perceberem que somos as pessoas certas para representarmos a Fidelidade”, salienta.

Do que já observou, Pedro Ramos considera que esta é uma competição complexa. “Aprofunda quatro eixos que são a produção, marketing, recursos humanos e investimento, permitindo ter uma visão holística de como uma empresa funciona como um todo e de como as peças se relacionam. É uma boa oportunidade para transpormos essa abordagem para a nossa empresa”, explica.

Inês Oliveira a única repetente neste desafio. Experimentou-o na altura em que estudou na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e agora como jovem quadro. “Houve mudanças desde essa altura e já sabia como é difícil a prova. Agora tenho mais espírito crítico para perceber que há aspetos que na teoria deveriam funcionar, mas que na prática nem sempre funcionam e aí, a experiência profissional ajuda”, finaliza.

Classificação após a 2ª decisão – 2ª edição da 1ª volta (Consulte o PDF)
VEJA AS CLASSIFICAÇÕES TOTAIS EM WWW.EXPRESSO.SAPO.PT/WORLDGMC

MANTER POSIÇÕES

As 115 equipas que estão a disputar a segunda edição da primeira volta do Global Management Challenge 2019, tomaram esta semana a sua segunda decisão. Uma ação que provocou alterações em sete grupos. Atualmente os grupos 3, 5, 6, 14, 16, 18 e 20, contam com novos líderes.

Os restantes 13 grupos mantiveram a mesma equipa no topo, já que os participantes lutam para manterem a sua posição. Numa altura em que se está a chegar quase ao meio desta etapa é natural que na próxima semana se registem novamente mudanças nas posições agora atingidas. Depois desta segunda decisão, a Staples Portugal, Fidelidade e a Accenture Portugal são as organizações mais representadas nas lideranças, contando com três. A IT Sector e a Garantia Mútua conseguiram duas cada. A Intrum, Tagusgás, Gopack, Konica Minolta e o Instituto de Emprego e Formação Profissional estão representados no topo de apenas um grupo.

Jornalista/Expresso: Maribela Freitas
Fotógrafo/Expresso: José Fernandes

Últimas Notícias

Patrocinadores

Apoios

Parceiros

Contacte-nos

Tem alguma questão? Envie-nos uma mensagem rápida, e respondemos o mais rápido possível.

Não consegue ler? Mude o texto. captcha txt

Insira o texto para pesquisar e pressione Enter

LuisPaulo_Uminho